Browsed by
Categoria: Destinos Internacionais

Ravello

Ravello

Ravello

O charme de Ravello, na Itália, com seus eventos culturais, música, tesouros da arte e jardins de frente para o infinito, entre o céu e o mar da Costa Amalfitana.

A beleza está presente por toda parte em Ravello, assim como o amor pela arte e pela música. Só nos últimos dois séculos, passaram por aqui nomes ilustres no campo musical como Wagner, Grieg, Rostropovich, Toscanini, Bernstein; no campo da pintura, Escher, Turner, Mirò; sem falar nos grandes escritores como D.H Lawrence, Forster e Virginia Wolf.

Não é por acaso que hoje, este charmoso burgo da Costa Amalfitana, Itália, é cenário de grandes eventos culturais como o Ravello Festival e os concertos de música clássica organizados pela Ravello Concert Society.

A História

 

Villa-Rufolo-ravello-italia-dicas-de-viagem-rodrigo-gurgel

De linhagem nobre, encantadora de pessoas, Ravello espera os viajantes que partem dos burgos marítimos da Costa Amalfitana em direção ao alto, lá do seu pedaço de rocha a 350 metros sobre o nível do mar.

Após um provável primeiro assentamento de colonos romanos fugindo das invasões bárbaras, fontes históricas relatam a presença no século IX de algumas famílias de Amalfi, que tinham se revoltado contra as autoridades do doge.

Ravello prosperou rapidamente graças a atividade de fiação da lã conhecida como “Celendra” e no século XI tentou romper os laços com a República Marítima de Amalfi nominando um próprio duque.

O seu declínio começou com a conquista normanda e sucessivamente, Ravello que tinha cerca de 36.000 habitantes em 1200, começou a perder cada vez mais população e no início do século XIX foi unificada à diocese de Amalfi.

Este declínio, no entanto, não atingiu a sua beleza. Ao contrário: a transformou em uma meta dos sonhos para intelectuais, artistas, personagens famosos que se apaixonavam por esse charmoso burgo da Costa Amalfitana.

As estrelas apaixonadas por Ravello

  • Greta Garbo
  • D.H.Lawrence
  • Richard Wagner
  • Winston Churchill
  • Virginia Woolf

A catedral de Ravello

A catedral aparece imponente na Piazza del Vescovado e recebe os viajantes com uma maravilhosa porta com relevo em bronze que foi realizada em 1179 em Constantinopla e depois transportada via mar até este burgo da Costa Amalfitana.

Uma maravilha de Barisano da Trani, que atravessou o mar para homenagear Ravello, transformada em sede episcopal em 1086 quando o primeiro bispo Orso papirio mandou construir o edifício.

O auditório de Oscar Niemeyer na Itália

auditório-de-Oscar-Niemeyer-ravello-italia-dicas-de-viagem-rodrigo-gurgel

Ravello se destaca como um lugar dedicado à cultura. Como uma ponte entre passado e futuro graças à presença do Auditorium, criado por um dos personagens mais importantes da arquitetura internacional: o brasileiro Oscar Niemeyer.

Uma construção na Itália imponente e ao mesmo tempo leve. Parecida com uma folha de papel em branco colocada sobre a colina e inflada pelo vento. Com uma sala de 400 lugares dedicada a concertos e eventos artísticos na Costa Amalfitana.

Villa Rufolo

Villa-Rufolo-ravello-italia-dicas-de-viagem-rodrigo-gurgel

A torre de frente para a piazza del Vescovado, no passado servia como mirante para a Villa Rufolo. Um dos tesouros da arte que ajudaram a propagar o nome de Ravello e da Costa Amalfitana no mundo.

A villa foi construída na segunda metade do século XIII, pela importante família Rufolo. Uma das características importantes da sua arquitetura é a mistura do estilo árabe que se destaca nas duas torres, com linhas árabes-normandas, e claustro mouro com seus arcos agudos e uma ordem dupla de galerias.

O edifício possui três andares absolutamente fascinantes, com seu ápice no jardim e no terraço sobre o mar onde acontece o festival wagneriano. Wagner esteve aqui em 1880 como membro do Parsifal e ficou totalmente encantado com a beleza do lugar tanto é que escreveu: “O jardim encantado de Klingsor foi encontrado”.

Villa Cimbrone

Villa-Cimbrone ravello italia dicas de viagem rodrigo gurgel

A paixão por Ravello e a fantástica paisagem natural da Costa Amalfitana e da Itália. Essa é a origem da Villa Cimbrone. Obra visionária do lord inglês William Beckett que em 1904 comprou o terreno onde existia uma antiga casa abandonada e a transformou em um lugar maravilhoso. Uma mistura de estilos e épocas diversas, restos arqueológicos e lembranças de viagem.

O verdejante jardim possui, além das raras espécies de plantas, também estátuas. Fontes e pequenos templos, grutas artificiais foram criadas seguindo o estilo antigo.

Os caminhos que cortam o jardim levam até o Mirante onde encontra-se o Terraço do Infinito. Difícil encontrar um nome melhor para a emoção que você vai sentir.

Mirante ravello italia dicas de viagem rodrigo gurgel

Outros lugares e monumentos para visitar em Ravello

  • Museu do Coral
  • Igreja de San Giovanni del Toro.
  • Igreja de Santa Maria a Gradillo.
  • Igreja de San Francesco.

Os lugares com a vista mais bonita de Ravello

  • O mirante Principessa di Piemonte.
  • O terraço infinito da Villa Cimbrone.
  • Os terraços da Villa Rufolo.

3 dicas do que fazer em Ravello

1) Escutar um concerto de música clássica nos terraços da Villa Rufolo.
2) Se perder no labirinto do jardim da Villa Cimbrone.
3) Aprender os segredos da cozinha local nas aulas de cozinha da Mamma Agata.

Mykonos

Mykonos

Mykonos

Mykonos é, provavelmente, a ilha mais famosa da Grécia e também uma das mais visitadas do mundo pelos turistas. A sua paisagem especial é dada pelas ilhas Cíclades, cercadas de belas praias de areia branca. Deve a sua fama à beleza da capital, das suas casinhas brancas e sinuosas passagens estreitas, bem como das suas enormes e variadas praias. A ilha foi descoberta em 1950, por um grupo de jovens, filhos de famílias ricas, que procuravam locais para se divertirem.

Na mitologia grega, Mykonos é filho de Apolo, deus da Luz e do Sol, mas hoje a história mudou. É uma ilha especial! O seu aspecto pitoresco vai para além da arquitetura típica grega, das vielas cheias de buganvílias e dos moinhos de vento. Esta é a ilha mais cosmopolita e animada, uma boa opção para quem procura diversão e festa, mas não deixa de agradar também quem prefere o sossego.

A ilha já foi ocupada pelos jônicos, fenícios, macedônios, atenienses, romanos, vienenses, gregos e alemães. Hoje, é uma mistura de heranças destas civilizações, sobretudo, daquelas que a comandaram a partir do século XV. Chora, a capital, é a parte mais antiga da cidade. Ruas de pedra cheias de casinhas brancas, com varandas floridas e cercada de igrejas pequeninas, um labirinto com recantos por desvendar. A vida noturna é agitada, seja nas praias maiores – que mantêm bares abertos até altas horas, ao som de música eletrônica – ou na principal cidade da ilha, Chora, cujo bairro Little Venice possui algumas discotecas.

Onde ir em Mykonos

Moinhos de vento

São o cartão-de-visita da cidade. Um cenário que se descobre logo quando se chega de barco. São cinco os moinhos que se avistam e foram construídos pelos venezianos no século XVI.

Igreja Panagia Paraportiani

Igreja-Panagia-Paraportiani-dicas-de-viagens-Mykonos-grecia-rodrigo-gurgel-agente-de-viagens-personalizadas

Destaca-se do restante das igrejas da ilha. É uma mistura de várias delas, construída por volta do século XV, é toda branca e contrasta com o céu azul.

Museu Arqueológico
namuseum.gr


Aqui pode-se ver as descobertas de túmulos da ilha vizinha de Rhenia, vasos, esculturas e figuras de arte excecionais.

Little Venice


É um conjunto de casas construídas no século XVI, literalmente penduradas sobre o mar. Acredita-se que foram erguidas pelos piratas para facilitar quando descarregavam os barcos. É incrível como ainda permanecem de pé, após tantos anos sofrendo com o vento e a água salgada. Hoje, a “Pequena Veneza” é um dos lugares mais procurados de Mykonos, com uma paisagem fabulosa, sobretudo durante o pôr-do-sol, com o mar à frente e os moinhos ao lado.

Edifício Town Hall

É um edifício construído em 1785 pela delegação russa e merece ser visitado. Foram anos de construção, mantendo ainda o seu design original.

Regiões a visitar

Chora


É a capital da ilha. Aqui encontra-se uma grande oferta de restaurantes, bares, mercados, lojas, escritórios para alugar carros (perto do terminal de autocarros), uma casa de câmbio e algumas agências de viagens.

Ano Mera

Paradise-Ano-Mera-dicas-de-viagens-Mykonos-grecia-rodrigo-gurgel-agente-de-viagens-personalizadas
Um vilarejo localizado a oito quilômetros do centro de Mykonos. Depois da capital, é o povoado mais antigo e mais importante da ilha. Um lugar tranquilo, menos agitado do que Chora e onde poderá apreciar um bom jantar num dos restaurantes da praça central. Aqui encontrará alguns mosteiros e igrejas e poderá usufruir das melhores praias da ilha, como Paradise, Super Paradaise, Elia, Platys Giales e Paranga (ou Paraga). Poderá, também, encontrar outras praias na parte de cima da ilha, como Kalafati, Ftelias, Panormos e Faros Armenistis.

Ilha de Delos

Ilha-de-Delos-dicas-de-viagens-Mykonos-grecia-rodrigo-gurgel-agente-de-viagens-personalizadas
Pode fazer um passeio de barco até a histórica ilha de Delos, o coração das ilhas Cíclades. Foi santuário dedicado aos deuses gêmeos Apolo e Artemis, tendo sido um dos três mais importantes centros religiosos da Grécia. Guarda remanescentes do século VIII a.C., como o grande anfiteatro. Há, também, um museu no local, construído em 1904, com estátuas e relíquias de Delos.

Praias

 

Para todos os gostos: gays, nudismo, baladas ou simplesmente para relaxar. A areia é mais clara e mais agradável de caminhar e o mar tem uma cor maravilhosa.

As praias mais visitadas são: Elia, Paradise, Super Paradise, Paranga (ou Paraga), Psarou e Platis Yalos (ou Platis Gialos).

Mergulho

mergulho-dicas-de-viagens-Mykonos-grecia-rodrigo-gurgel-agente-de-viagens-personalizadas
Algumas praias como a de Kalafatis alugam equipamentos para mergulho e oferecem cursos com guias especializados.

Baladas

baladas-dicas-de-viagens-Mykonos-grecia-rodrigo-gurgel-agente-de-viagens-personalizadas
As praias de Paradise e Super Paradise, durante a alta temporada, possuem uma programação bem cheia para os baladeiros de plantão. Apesar dos bares dessas praias funcionarem quase ininterruptamente, a agitação começa a partir das 15h.

Em Paradise, por exemplo, além do bar da praia, existe uma balada (Cavo Paradiso) que acolhe e apresenta os mais famosos DJ’s do mundo durante o verão.

Interessante


A ilha de Mykonos é repleta de gatos. Repleta mesmo… não se assuste com a quantidade que encontrar nas ruas.

Também não se assuste se, ao andar pelas ruas de Chora, se deparar com um Pelicano enorme… É o Petros, mascote da ilha… Na verdade o Petros original já faleceu e se encontra empalhado no museu folclórico, porém logo a população da ilha tratou de substituir por outro.

Gastronomia

As especialidades gregas mais saborosas e conhecidas são a moussaka (beringelas acompanhadas de carne de cordeiro e condimentadas com canela e vinho tinto) e avgolemono (arroz com frango e ovos com sumo de limão). Destacam-se também as carnes assadas e os pratos feitos com peixe ou marisco. As refeições incluem, normalmente, entradas como keftedes (bolinhas de carne picante) ou tzatziki, um molho à base de iogurte, pepino e endro. Como sobremesa estão, entre outros, as baklavas, uma massa folhada com mel, baunilha e amêndoas.

As saladas gregas – frescas e de fácil feitura – são famosas internacionalmente. Nelas não faltam o azeite, o tomate, o pepino e o queijo feta, que é, possivelmente, o produto mais conhecido do país. Também é muito comum adicionar a estas saladas as famosas azeitonas gregas.
Dentro da tradição gastronômica grega encontramos também duas bebidas típicas do país: a retsina, elaborada com pinhões, e ouzo, de anis, que se torna escura ao adicionar água.

Onde comer

Spilia Restaurant

Avli Tou Thodori
Platys Gialos
M-eating
Mykonos Town
Gelarte Ice Cream
Mykonos Town
Kikis Tavern
Mykonos Town
Nautilus
Mykonos Town
Katerina’s Bar & Restaurant
Mykonos Town
Nostimon
Ornos
Fokos Taverna
Praia de Fokos
To Maereio
Mykonos Town
Karavaki Restaurant
Mykonos Town
Bonatsa
Platys Gialos
Avra Restaurant – Garden
Mykonos Town
Bakalo
Mykonos Town
Barcelona

Barcelona

Barcelona

Espremida entre o mar Mediterrâneo e duas montanhas, Barcelona não tem para onde crescer, talvez por isso tudo o que aconteça por lá é concentrado, principalmente em intensidade.

Sua noite é uma das melhores da Europa, se não for a melhor. Há centenas de bares para todos os gostos, e danceterias que tocam de tudo, com público que varia do underground ao executivo comportado. Mas, antes que o sol se ponha e tenha início uma noite que nunca acaba, a cidade ferve em suas praias e ruas – algumas amplas como a elegante Passeig de Grácia, outras muito estreitas como as do bairro gótico, com arquitetura medieval. Além delas há ainda a antológica Rambla, pontilhada por artistas, atores, shows, estátuas vivas, barracas de plantas e animais.

Barcelona, palco das Olimpíadas de 1992, é mais catalã do que espanhola. É uma cidade onde se cultua a cava, um tipo de champagne, a alegria de viver e, principalmente, as artes – esta é a terra de Antônio Gaudí, o Arquiteto que assina os principais cartões postais da cidade, desde a Sagrada Família, até a casa de La Pedrera, passando pelo parque Guell, um dos mais originais do mundo. Barcelona, enfim, é uma obra de arte cheia de vida.

Não deixe de ver e fazer:

Igreja da Sagrada Família, magnífica obra de Gaudi, ainda inacabada.

dicas-de-viagens-sagrada-familia-barcelona
Catedral de Barcelona, exemplo da arquitetura gótica catalã, esta Basílica é uma das mais impressionantes da Espanha.


Las Ramblas, famoso calçadão que atravessa o bairro antigo.


• Uma visita às Colunas Romanas com 2 mil anos no Bairro Gótico.


Museu D’Art Modern – Parc de La Ciutadella. Abrigada uma coleção de arte catalã dos séculos XIX e XX.


Museu Picasso, com 2.500 obras do grande mestre, expostas em dois palácios convertidos em museus – Carrer Montcada, 15-19.


Palau de La Musica Catalana – Carrer de Sant Francesc de Paula, 2 – Tel. (93) 268-1000. Verificar a programação. É um verdadeiro palácio de música, uma celebração modernista em cerâmica, escultura e magníficos vitrais. É a única sala de concertos da Europa iluminada por luz natural.


Casa Milà, também chamada “La Pedrera”, é a maior contribuição de Gaudi à arquitetura civil de Barcelona. Foi seu último trabalho antes de se dedicar inteiramente à Sagrade Família.

La-Pedrera-em-Barcelona
• Um passeio no Parque Guell, de Gaudi.

dicas-de-viagens-santorini-barcelona-parque-guell
Fundació Joan Miró – Parc de Montjuic, projetado para abrigar a coleção de desenhos, pinturas, esculturas e tapeçarias doadas por Miró. Há também exposições de outros artistas.

dicas-de-viagens-Fundacio-Joan-Miro-barcelona
• Museu Nacional D’Art de Catalunya.

Barcelona-Museu-Nacional-DArt-de-Catalunya
Montjuic: é uma colina situada na zona sudoeste da cidade de Barcelona, de onde se domina visualmente o porto e a zona antiga da cidade. Lá estão o parque olímpico, jardim botânico, fundação Joan Miró, o Palácio nacional (sede do Museu Nacional de Arte da Catalunha (MNAC) e um antigo castelo medieval.

Montjuic
Estadio do Barcelona.

camp-nou-estadio-do-barcelona
• Um passeio ao Parque Ciutadella.

park-ciutadella-barcelona
• O aquário de Barcelona.

aquário-de-Barcelona
• Um passeio na Praça Del PI.

Praça-Del-PI-barcelona

Onde comprar:

Nas movimentadas Ramblas, pode-se comprar flores, artesanato e artigos diversos.
No Pueblo Espanhol, em Montjuich, há bonecas, porcelanas, canivetes e outras coisas mais.

Produtos mais sofisticados são encontrados nos shoppings centers?
• Shopping L’Illa: Av. Diagonal, 545.
• Boulevard Rosa: Passeig de Grácia, 55.
• El Corte Ingles: Imensa Loja de Departamentos, na praça de Catalunya.

Onde comer:

Botafumeiro:
Carrer Gran de Gràcia, 81. Tel. (93) 218 4230. Frutos do mar de boa qualidade.

Xampanyet:
Típico catalão, serve o saboroso champagne local (Cava) e outros petiscos (Tapas). Na Calle Montcada, 22.

Set Portes:
Ótima comida local. Passeio Isabel, II, 14. Tel. (93) 319 2950. Ricamente decorado, lembra um elegante café

Parisiense:
Oferece 11 tipos de paella.

Los Caracoles:
Carrer Escudellers, 14. Tel. (93) 302 3185. Movimentado restaurante que serve pratos simples como paella, cordeiro e frango no espeto. Próximo das Ramblas.

La Fonda, El Rey de La Gamba, Els Argonautes e Barca Del Salamanca:
Especializados em frutos do mar (todos no Porto Olímpico).

El Mussol:
Comida típica de primeira. Av. Diagonal, 488, Les 4 Cats: Não bastasse ser o lugar onde Picasso fez sua primeira exposição na cidade, a paella é ótima. Carrer Montsió, 3.

Magic Barça:
Restaurante do time de Barcelona, com telão que passa os melhores momentos dos jogos. Ótimas carnes. Próximo ao Porto Olímpico.

Onde agitar:

Em Barcelona, o endereço dos mais badalados bares, boates e shows é o Porto Olímpico, que tem lugares da moda a perder de vista.

Outros:

La Bodega Vieja:
Bar típico com Jamons pendurados no teto. Na Rambla.
• La Tramóia:
Ótimos drinques. Rambla de Catalunya, 15.
• La Fira:
Decorado com pedaços de parque de diversões do século passado. Calle Provença, 171.
• Bares Rosebud e particular:
Mesas ao ar livre no meio do bosque no verão e luz de velas no inverno. Ficam no Tibidabo, uma das montanhas que circundam Barcelona.
Marablau:
Bar – Danceteria com ótima vista da cidade. Fica no alto do Tibidabo.
• Luna Mora:
Danceteria de muito bom gosto. Fica perto da Panini.
• Luz de Gás:
Shows de Jazz, Blues e Soul. Muntaner, 246.
• Bikini:
Danceteria que toca um pouco de tudo. Diagonal, 547.

Onde ir?

Casa Batlló

 

dicas-de-viagens-santorini-grecia-3
A Casa Batlló é uma das obras mais importantes e impressionantes do genial Antoni Gaudí, refletindo o período de plenitude criativa do artista. A casa também é conhecida popularmente como a “casa de las máscaras” ou a “casa de los huesos” (ossos) pela semelhança de alguns elementos decorativos da fachada com máscaras e ossos.

Pela sua importância para a história da arte e da arquitetura, foi declarada, em 2005, Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO.

Sua história começou em 1903, quando Josep Batlló, um rico empresário da área têxtil, comprou o prédio, situado no Passeig de Gràcia, no coração da Barcelona modernista. A construção do edifício data de 1877, numa época em que não havia luz elétrica em Barcelona. Batlló encomendou a remodelação quase que total do prédio a Antoni Gaudí, que na época já era um arquiteto famoso.

No trabalho de reforma do prédio, Gaudí contou com a colaboração dos seus ajudantes habituais e de um seleto grupo de artesãos da época. Essa mão de obra de primeira ordem contribuiu para que o resultado final se convertesse em um trabalho com desenho extraordinário. A obra foi completada entre 1904 e 1906 e Batlló ficou tão contente com o trabalho realizado por Gaudí, que o indicou para a construção de La Pedrera, de seu amigo Pere Milà i Camps.

Para crianças, ao invés do áudio guia comum, invista num aparelho que chamam de realidade estendida. Ele permite ver móveis e animais em 3D que inspiraram certos detalhes da arquitetura.

Visita:

A Casa Batlló abre das 9:00h às 21:00h todos os dias do ano. Fique atento, pois determinados eventos privados podem fechar a casa para visitas em algumas datas.

O site oficial da Casa Batlló (www.casabatllo.es) é consulta obrigatória para quem quer visitar o prédio. Ele contém informações detalhadas sobre horários, incluindo as datas nas quais estará fechada para algum evento privado.

Ingressos:

O site oficial da Casa Batlló contém informações detalhadas sobre os ingressos. Os menores de 7 anos não pagam e há descontos para estudantes e aposentados. O preço do ingresso inclui a utilização de áudio-guia.

Aquàrium de Barcelona

O Aquàrium reúne um conjunto de 35 aquários, com mais de 11.000 exemplares de 450 espécies diferentes, além de um enorme oceanário.

Os diferentes aquários reproduzem os ambientes marinhos por áreas geográficas e as espécies presentes em cada uma delas, contando com displays explicativos. São ambientes de uma beleza hipnotizante, repletos de cores e inúmeros detalhes.

Entretanto, o momento mágico do Aquàrium está no gigantesco tanque central, que pode ser percorrido por um túnel com as paredes transparentes. Poder observar espécies de grande porte passando por todos os lados, é quase como mergulhar sem entrar na água. A sensação de ver um grande tubarão ou uma arraia por cima de nossas cabeças é emocionante!

Existem ainda várias atividades interativas pensadas especificamente para as crianças, que poderão olhar, escutar e tocar algumas espécies marinhas.

Visita:

A web oficial do Aquàrium (www.aquariumbcn.com) contém muitas informações de interesse para quem quer visitá-lo.

Abre todos os dias do ano às 9:30h da manhã.
De segunda a sexta fecha às 21:00h.
Nos finais de semana, feriados e em junho e setembro fecha às 21:30h.
Durante julho e agosto fecha às 23:00h.

Ingressos:

Existe uma tarifa para adultos, uma tarifa para crianças de 5 a 10 anos, outra tarifa para crianças de 3 e 4 anos e finalmente uma tarifa para maiores de 65 anos.

Las Golondrinas

Las Golondrinas (as andorinhas) é a denominação das embarcações de recreio que, há mais de 125 anos, levam os turistas para navegar pelo porto de Barcelona. Trata-se de uma das atrações turísticas mais antigas de Barcelona, datando de 1888, quando se celebrou a Exposição Universal na cidade.

As Golondrinas operam a partir do Port Vell, o porto antigo de Barcelona, bem ao lado do Mirador de Colon. A empresa utiliza diferentes tipos de embarcações nos seus passeios.

O turista pode fazer dois passeios diferentes:

Barcelona Puerto:

Um passeio de 40 minutos que percorre o porto de Barcelona e permite ver de perto ícones como o Aeri del Port ou o Hotel W Barcelona. O itinerário também inclui a parte mais moderna do porto de Barcelona, onde ficam ancorados os grandes navios de cruzeiro, que tem a cidade como origem, destino ou escala dos roteiros. É o passeio mais tradicional.

Como a embarcação não abandona a segurança oferecida pelas barreiras de proteção do porto, é um passeio tranquilo e indicado para quem tem dificuldades na navegação em mar aberto.

Barcelona Mar:

Outro passeio de 1 hora e 30 minutos que percorre o porto de Barcelona e também a orla marítima e as praias da cidade, passando pelo Port Olímpic.

Informações práticas:

O site de Las Golondrinas (www.lasgolondrinas.com/en/) contém as informações detalhadas dos passeios, horários e preços. Nos meses de dezembro e janeiro, os passeios em barco não são realizados.

O tradicional passeio em Las Golondrinas é uma forma diferente de conhecer o porto de Barcelona e sua história de tradição marítima. Se você tem problemas com o mar, evite fazer o passeio em dias de vento, quando o mar costuma estar mais agitado.

Camp Nou

O Camp Nou é o estádio do FC Barcelona, além de uma das atrações turísticas mais visitadas da cidade.

O FC Barcelona, ou Barça, fundado em 1899, é “mès que un club” (“mais do que um clube”), sendo todo um símbolo para a cidade de Barcelona e a Catalunha. Por isso, seu estádio também é muito mais que um simples palco para eventos esportivos, sendo a meca de muitos fãs do futebol mundial. O FC Barcelona é, afinal de contas, um dos times mais conhecidos e de sucesso do planeta.

O Camp Nou está no distrito residencial de Les Corts.
Nas instalações do clube, além do estádio de futebol, encontram-se o Palau Blaugrana (ginásio onde jogam os times do Barça de basquete, handebol e outros esportes), a Pista de Gel (pista de gelo, onde joga o time de hóquei do Barça) e o Miniestadi (um campo de futebol de menor proporção que o Camp Nou, onde jogam os times de futebol do Barça das categorias inferiores).
A Camp Nou Experience:
Camp Nou Experience é o nome que recebe a visita às instalações do Camp Nou. A visita está composta por três partes distintas.

1. O Museu FCB.
Dentro do museu você vai ver a interminável coleção de troféus do clube, além de objetos de jogadores importantes na história do Barça.

2. O Tour do Camp Nou.
Durante o tour são visitados o vestiário do time visitante, o gramado, as arquibancadas do estádio, as cabines de imprensa e a sala de imprensa.

3. A Zona Multimedia.
É uma parte do museu onde estão instalados mesas e painéis interativos, além de grandes displays multimídia.

Informações importantes:

A visita ao Camp Nou não é guiada. Quem quiser, pode alugar uma audioguia (paga).
A visita dura entre 1 hora e meia a duas horas, mas o que define o tempo de permanência é o horário de funcionamento do Camp Nou. Você poderá ficar rodando pelo estádio o tempo que quiser.
Só uma parte da visita (Museu e Visão panorâmica do estádio) é adaptada para cadeirantes.
As fotos são permitidas em qualquer parte das instalações.
Há várias lanchonetes.
No final da visita está a FCBotiga, a loja de produtos oficiais do FCBarcelona.

Horário de visita:

No site do FC Barcelona (www.fcbarcelona.pt/camp-nou), você encontrará os horários de visita atualizados.

É importante saber que o Camp Nou pode ser visitado em dia de jogo, com algumas restrições dependendo da competição.

O Camp Nou abre o ano todo, de segunda a domingo, com a exceção dos dias 1 de janeiro, 6 de janeiro e 25 de dezembro.

Ingressos:

No site do FC Barcelona, podem ser consultados os preços atualizados.

Como chegar até o estádio?

Já falamos que o Camp Nou está na zona residencial de Les Corts. O estádio não tem estação de metrô própria, mas há várias estações por perto. São elas:

◦ na linha 3 (verde): Les Corts, Maria Cristina, Palau Reial e Zona Universitària
◦ na linha 5 (azul): Badal e Collblanc

Todas as estações mencionadas estão equidistantes do estádio e para chegar nele será necessário fazer um certo ziguezague pelo caminho. Antes de sair da estação do metrô, não deixe de consultar o mapa da região (todas as estações têm um afixado) para saber o caminho que você vai precisar fazer até o estádio. Provavelmente seja mais fácil chegar a partir da estação Palau Reial.

A entrada ao Camp Nou Experience é feita pelo acesso 9, ao lado da Pista de Gel, a entrada está bem sinalizada.

O ônibus turístico tem um ponto bem em frente da entrada ao Camp Nou.

Parc D’atraccions Del Tibidabo

No alto da serra de Collserola, à direita da Torre de Collserola, está o Parc d’Atraccions del Tibidabo, o parque de diversões de Barcelona. Com mais de um século de história, o parque pertence à Prefeitura de Barcelona, que disponibiliza uma visita virtual para quem quiser saber um pouco mais sobre o parque antes de deslocar-se até lá.
Visível desde muitos pontos de Barcelona, o parque também oferece uma espetacular vista panorâmica da cidade.

No parque convivem as atrações do parque antigo com as atrações mais modernas, sem comprometer seu charme especial. Uma das atrações do parque, que encantará aos mais saudosistas, é o Museu d’Autòmats, com uns 50 bonecos automatizados, cujas datas remontam a 1800.

Junto ao parque está o Temple Expiatori del Sagrat Cor, obra do arquiteto Enric Sagnier, que parece fortemente inspirado no Sacré Coeur de Paris.

Visitas:

Os horários de funcionamento do parque mudam durante o ano e há vários tipos de ingressos, por essa razão recomendamos uma consulta à seção sobre horários e preços da web oficial do parque. Veja com atenção, o parque não abre todos os dias.
Font Màgica

Para a Exposição Internacional de 1929, uma grande fonte foi construída na avenida que, partindo da Plaça Espanya, sobe até o Palau Nacional.

O termo Font Màgica (fonte mágica) descreve o espetáculo de música e luz, coordenados com o movimento dos jatos de água, que têm lugar nessa fonte no final do dia, depois que o sol já se escondeu.

A Font Màgica é uma das atrações turísticas mais populares de Barcelona, atraindo muitas pessoas de diferentes idades para o espetáculo. Os movimentos dos jatos de água, que têm mais de 50 variações, vão se alternando de acordo com a música e as mudanças de cores, criando um show verdadeiramente mágico que encanta a todos que o presenciam.

Em datas específicas, a programação da fonte é mudada. Em setembro, a fonte é o cenário do ato final das Festas de la Mercè, as grandes festas da cidade de Barcelona. Nas semanas antes do Natal, a programação musical da fonte é dominada pelos temas relacionados com o Natal.

Visita:

A boa notícia para o orçamento dos viajantes é que o espetáculo da Font Màgica é completamente gratuito. Fácil entender que sempre atraia multidões.

A sequência de música, luz e movimentos de água se repete várias vezes, durante o período de funcionamento da Font Màgica. Não é necessário chegar logo no começo do espetáculo, como também não é necessário ficar até o final do show. Mesmo com muita gente, dá para curtir o espetáculo da Font Màgica com tranquilidade, só tem que ficar de olho nos pequenos e mantê-los por perto, mas o ambiente é bem familiar.

A web oficial da Prefeitura de Barcelona contém informações atualizadas sobre o horário de funcionamento da Font Màgica.

Cosmocaixa (Museu de la Ciència)

O Cosmocaixa é um dos grandes programas para crianças de todas as idades. O museu conta com nove andares e espaços diferenciados de divulgação científica. Dá para passar o dia todo.

Como chegar:

A Font Màgica está na Avenida Reina Maria Cristina, no caminho ao Parc de Montjuïc. A estação de metrô mais próxima é a Plaça Espanha nas linhas 1 (vermelha) e 3 (verde).

Zoo de Barcelona

O Zoo de Barcelona é um ilustre vizinho do Parc de la Ciutadella, onde funciona desde 1892, ocupando parte do terreno do parque. São mais de 7.000 animais de aproximadamente 400 espécies diferentes.

Além dos animais, os jardins do zoológico guardam obras de arte modernistas como la Dama del Paraguas.

Visita:

A web oficial do Zoo (www.zoobarcelona.cat) contém muitas informações de interesse para quem quer visitá-lo.

O Zoo abre todos os dias do ano, a partir das 10:00h. O horário de fechamento muda durante o ano:

De 1 de janeiro até 23 de março, fecha às 17:30h.
De 24 de março até 15 de maio, fecha às 19:00h.
De 16 de maio até 15 de setembro, fecha às 20:00h.
De 16 de setembro até 26 de outubro, fecha às 19:00h.
De 27 de outubro até 31 de dezembro, fecha às 17:30h. No dia de Natal fecha às 12:00h.

Recomendamos confirmar os horários de funcionamento.

Ingressos:

Existe uma tarifa para adultos, uma tarifa para crianças de 3 a 12 anos e finalmente uma tarifa para maiores de 65 anos.

Museu de La Xocolata

O Museu de la Xocolata (museu do chocolate) encontra-se no bairro de La Ribera, parte do distrito de Sant Pere, Santa Caterina i La Ribera. Criado em 2000, ocupa parte do Antigo Convento de Sant Agustí.

O museu traz a história do chocolate, apresentando também suas propriedades e seus valores alimentar, cultural e econômico. O museu organiza atividades e oficinas para adultos e crianças também.

Visitas:

A página web do museu (www.museuxocolata.cat) contém informações sobre horários de visita e preços dos ingressos.

Como chegar:

O Museu de la Xocolata encontra-se no Comerç, 36. As estações de metrô mais próximas são a Jaume I da linha 4 (amarela) e a Arc do Triomf da linha 1 (vermelha).

Dica:

Bem ao lado do museu encontra-se o pátio do Antigo Convento de Sant Agustí (onde hoje funciona um centro cívico), um cantinho gostoso e pouco conhecido de Barcelona.

Museu de Cera

O Museu de Cera de Barcelona contém mais de 300 figuras de cera de personagens famosos, tanto da fantasia como da história.

Visitas:

A página web do museu (www.museocerabcn.com) contém informações sobre horários de visita e preços dos ingressos.

Como chegar:

O Museu de Cera está meio escondido, no final de uma pequena rua que começa em Las Ramblas. É fácil identificar o ponto porque há uma casinha de venda de ingressos no próprio passeio de Las Ramblas, na altura da rua onde está o museu. A estação do metrô mais próxima é a Drassanes da linha 3 (verde).

Parc de la Ciutadella

O Parc de la Ciutadella (parque da cidadela), no coração da cidade, é um dos parques mais importantes de Barcelona.

É também o parque mais antigo. Foi construído para a Exposição Universal de 1888, utilizando uma área antes ocupada pela antiga fortaleza da cidade, a Ciutadella. O projeto está inspirado em jardins europeus da Inglaterra, França e Itália.

Vários prédios, construídos especificamente para a Exposição de 1888, ainda podem ser vistos no parque.

Um dos lugares mais bonitos do parque é o pequeno lago e sua fonte monumental. Nesse monumento trabalharam os melhores escultores da época, no qual o conjunto escultórico do El carro de l’Aurora destaca-se de forma resplandecente (literalmente!), na parte alta do monumento. O então jovem Antoni Gaudí colaborou em alguns elementos do desenho da cascata.

Suba pelas escadas laterais da fonte para admirar a obra mais de perto.

Visita:

O parque pode ser visitado todos os dias do ano. Abre sempre às 10h00. Em dezembro, janeiro e fevereiro, fecha às 18h00; em março e novembro, fecha às 19h00; em abril e outubro, fecha às 20h00; de maio até setembro, fecha às 21h00.

O ingresso é gratuito.

Como chegar:

O Parque de la Ciutadella fica em um extremo da Ciutat Vella de Barcelona. As estações de metrô mais próximas são a Arc de Triomf na linha 1 (vermelha) e a Ciutadella / Vila Olímpica na linha 4 (amarela).

Dica:

O Parc de la Ciutadella de Barcelona é um lugar muito legal para passear em um dia com tempo bom. A visita ao parque pode ser combinada com um roteiro pelo vizinho, bairro de El Born.

Mais dicas de onde comer!

Confeitarias:

A cidade é cheia de confeitarias com vitrines tentadoras. Aconselho que separe uma tarde para lanchar num lugar desses. Uma boa ideia é visitar o Museu do Chocolate e depois passear pelo Carrer de La Princesa para visitar as confeitarias.

Piquenique:

As pessoas em Barcelona têm o hábito de levar sua comida e essa pode ser uma boa opção para se alimentar com os pequenos. Pode ser divertido levar uma toalha de piquenique de casa, e desfrutar bastante dos gramados. Funciona como hora do lanche, mas também como uma pausa para o descanso, sobretudo para as crianças. Uma super dica de local para piquenique é o Parque de La Ciutadella, um lugar muito bonito e especial!