Browsed by
Tag: internacionais

Split (Croácia)

Split (Croácia)

Split, Croácia

Croacia Dicas de Viagem Rodrigo Gurgel Viagens Personlaizadas

Split é a segunda maior cidade da Croácia e a maior da região da Dalmácia. Está situada numa pequena península na margem oriental do Mar Adriático.

Conheça 4 curiosidades sobre Split:

01.Bacvice

Croacia. a única praia de areia da cidade é Bacvice

A maior parte das praias da Croácia é constituída de pedra e em Split não é diferente. A única de areia da cidade é Bacvice.

Com o sol insistente até às 8 horas da noite, os viajantes aproveitam cada segundo no mar. Preparando-se para curtir as noites a céu aberto nos bares locais.

A cidade é ponto de partida para algumas das principais ilhas croatas, como Brac, Hvar e Vis.

02.Conheça a cidade histórica de Trogir

Conheça a cidade histórica de Trogir na coácia. Rodrigo Gurgel agente de viagens personalizadas. Dicas de viagem

Para escapar, a 27 quilômetros de Split, a cidade histórica de Trogir é um sossego diante da movimentada vizinha. Sustentada pelo turismo e pela pesca abriga igrejas, fortalezas e torres, que podem ser escaladas para se admirar a cidade do alto. Porém, uma placa avisa que o percurso é por conta e risco do viajante. Os degraus são muitos e tortuosos, como é o caso da Catedral de São Lourenço, monumento mais famoso de Trogir. Pequena, com pouco mais de 13 mil habitantes, Trogir vale a visita. E se o dia for curto, esticar o período pode levar a conhecer algumas das praias locais.

03. A boa vida na Croácia

Split. Dicas de viagem para croácia

Já em relação ao país Croácia, território que já foi palco de sérios conflitos, exibe um cenário que convida à boa vida. Pelas cidadezinhas da região, paisagens, parques e histórias de sobra completam o ar boêmio e de tranquilidade.

04. História

Split. Dicas de viagem para croácia

Split é uma cidade muito antiga, com mais de 1700 anos de existência. Já foram achados inclusive vestígios arqueológicos indicando que a região foi habitada por gregos antigos desde o século 6 a.C. A cidade já foi motivo de disputa entre Venezianos, Turcos Otomanos e até Napoleão Bonaparte apareceu nessa história. Teve ainda o período em que o Império Austro-Húngaro comandou a região. Até que por fim a Croácia veio a fazer parte do Reino da Iugoslávia até outubro de 1991, quando finalmente conseguiu sua Independência.

Essas fotos eu fiz em 2014

Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014
Viagem para a Croácia 2014

Gostou das curiosidades ou quer saber mais sobre a Croácia? Deixe um comentário abaixo.

Ravello

Ravello

Ravello

O charme de Ravello, na Itália, com seus eventos culturais, música, tesouros da arte e jardins de frente para o infinito, entre o céu e o mar da Costa Amalfitana.

A beleza está presente por toda parte em Ravello, assim como o amor pela arte e pela música. Só nos últimos dois séculos, passaram por aqui nomes ilustres no campo musical como Wagner, Grieg, Rostropovich, Toscanini, Bernstein; no campo da pintura, Escher, Turner, Mirò; sem falar nos grandes escritores como D.H Lawrence, Forster e Virginia Wolf.

Não é por acaso que hoje, este charmoso burgo da Costa Amalfitana, Itália, é cenário de grandes eventos culturais como o Ravello Festival e os concertos de música clássica organizados pela Ravello Concert Society.

A História

 

Villa-Rufolo-ravello-italia-dicas-de-viagem-rodrigo-gurgel

De linhagem nobre, encantadora de pessoas, Ravello espera os viajantes que partem dos burgos marítimos da Costa Amalfitana em direção ao alto, lá do seu pedaço de rocha a 350 metros sobre o nível do mar.

Após um provável primeiro assentamento de colonos romanos fugindo das invasões bárbaras, fontes históricas relatam a presença no século IX de algumas famílias de Amalfi, que tinham se revoltado contra as autoridades do doge.

Ravello prosperou rapidamente graças a atividade de fiação da lã conhecida como “Celendra” e no século XI tentou romper os laços com a República Marítima de Amalfi nominando um próprio duque.

O seu declínio começou com a conquista normanda e sucessivamente, Ravello que tinha cerca de 36.000 habitantes em 1200, começou a perder cada vez mais população e no início do século XIX foi unificada à diocese de Amalfi.

Este declínio, no entanto, não atingiu a sua beleza. Ao contrário: a transformou em uma meta dos sonhos para intelectuais, artistas, personagens famosos que se apaixonavam por esse charmoso burgo da Costa Amalfitana.

As estrelas apaixonadas por Ravello

  • Greta Garbo
  • D.H.Lawrence
  • Richard Wagner
  • Winston Churchill
  • Virginia Woolf

A catedral de Ravello

A catedral aparece imponente na Piazza del Vescovado e recebe os viajantes com uma maravilhosa porta com relevo em bronze que foi realizada em 1179 em Constantinopla e depois transportada via mar até este burgo da Costa Amalfitana.

Uma maravilha de Barisano da Trani, que atravessou o mar para homenagear Ravello, transformada em sede episcopal em 1086 quando o primeiro bispo Orso papirio mandou construir o edifício.

O auditório de Oscar Niemeyer na Itália

auditório-de-Oscar-Niemeyer-ravello-italia-dicas-de-viagem-rodrigo-gurgel

Ravello se destaca como um lugar dedicado à cultura. Como uma ponte entre passado e futuro graças à presença do Auditorium, criado por um dos personagens mais importantes da arquitetura internacional: o brasileiro Oscar Niemeyer.

Uma construção na Itália imponente e ao mesmo tempo leve. Parecida com uma folha de papel em branco colocada sobre a colina e inflada pelo vento. Com uma sala de 400 lugares dedicada a concertos e eventos artísticos na Costa Amalfitana.

Villa Rufolo

Villa-Rufolo-ravello-italia-dicas-de-viagem-rodrigo-gurgel

A torre de frente para a piazza del Vescovado, no passado servia como mirante para a Villa Rufolo. Um dos tesouros da arte que ajudaram a propagar o nome de Ravello e da Costa Amalfitana no mundo.

A villa foi construída na segunda metade do século XIII, pela importante família Rufolo. Uma das características importantes da sua arquitetura é a mistura do estilo árabe que se destaca nas duas torres, com linhas árabes-normandas, e claustro mouro com seus arcos agudos e uma ordem dupla de galerias.

O edifício possui três andares absolutamente fascinantes, com seu ápice no jardim e no terraço sobre o mar onde acontece o festival wagneriano. Wagner esteve aqui em 1880 como membro do Parsifal e ficou totalmente encantado com a beleza do lugar tanto é que escreveu: “O jardim encantado de Klingsor foi encontrado”.

Villa Cimbrone

Villa-Cimbrone ravello italia dicas de viagem rodrigo gurgel

A paixão por Ravello e a fantástica paisagem natural da Costa Amalfitana e da Itália. Essa é a origem da Villa Cimbrone. Obra visionária do lord inglês William Beckett que em 1904 comprou o terreno onde existia uma antiga casa abandonada e a transformou em um lugar maravilhoso. Uma mistura de estilos e épocas diversas, restos arqueológicos e lembranças de viagem.

O verdejante jardim possui, além das raras espécies de plantas, também estátuas. Fontes e pequenos templos, grutas artificiais foram criadas seguindo o estilo antigo.

Os caminhos que cortam o jardim levam até o Mirante onde encontra-se o Terraço do Infinito. Difícil encontrar um nome melhor para a emoção que você vai sentir.

Mirante ravello italia dicas de viagem rodrigo gurgel

Outros lugares e monumentos para visitar em Ravello

  • Museu do Coral
  • Igreja de San Giovanni del Toro.
  • Igreja de Santa Maria a Gradillo.
  • Igreja de San Francesco.

Os lugares com a vista mais bonita de Ravello

  • O mirante Principessa di Piemonte.
  • O terraço infinito da Villa Cimbrone.
  • Os terraços da Villa Rufolo.

3 dicas do que fazer em Ravello

1) Escutar um concerto de música clássica nos terraços da Villa Rufolo.
2) Se perder no labirinto do jardim da Villa Cimbrone.
3) Aprender os segredos da cozinha local nas aulas de cozinha da Mamma Agata.

Mykonos

Mykonos

Mykonos

Mykonos é, provavelmente, a ilha mais famosa da Grécia e também uma das mais visitadas do mundo pelos turistas. A sua paisagem especial é dada pelas ilhas Cíclades, cercadas de belas praias de areia branca. Deve a sua fama à beleza da capital, das suas casinhas brancas e sinuosas passagens estreitas, bem como das suas enormes e variadas praias. A ilha foi descoberta em 1950, por um grupo de jovens, filhos de famílias ricas, que procuravam locais para se divertirem.

Na mitologia grega, Mykonos é filho de Apolo, deus da Luz e do Sol, mas hoje a história mudou. É uma ilha especial! O seu aspecto pitoresco vai para além da arquitetura típica grega, das vielas cheias de buganvílias e dos moinhos de vento. Esta é a ilha mais cosmopolita e animada, uma boa opção para quem procura diversão e festa, mas não deixa de agradar também quem prefere o sossego.

A ilha já foi ocupada pelos jônicos, fenícios, macedônios, atenienses, romanos, vienenses, gregos e alemães. Hoje, é uma mistura de heranças destas civilizações, sobretudo, daquelas que a comandaram a partir do século XV. Chora, a capital, é a parte mais antiga da cidade. Ruas de pedra cheias de casinhas brancas, com varandas floridas e cercada de igrejas pequeninas, um labirinto com recantos por desvendar. A vida noturna é agitada, seja nas praias maiores – que mantêm bares abertos até altas horas, ao som de música eletrônica – ou na principal cidade da ilha, Chora, cujo bairro Little Venice possui algumas discotecas.

Onde ir em Mykonos

Moinhos de vento

São o cartão-de-visita da cidade. Um cenário que se descobre logo quando se chega de barco. São cinco os moinhos que se avistam e foram construídos pelos venezianos no século XVI.

Igreja Panagia Paraportiani

Igreja-Panagia-Paraportiani-dicas-de-viagens-Mykonos-grecia-rodrigo-gurgel-agente-de-viagens-personalizadas

Destaca-se do restante das igrejas da ilha. É uma mistura de várias delas, construída por volta do século XV, é toda branca e contrasta com o céu azul.

Museu Arqueológico
namuseum.gr


Aqui pode-se ver as descobertas de túmulos da ilha vizinha de Rhenia, vasos, esculturas e figuras de arte excecionais.

Little Venice


É um conjunto de casas construídas no século XVI, literalmente penduradas sobre o mar. Acredita-se que foram erguidas pelos piratas para facilitar quando descarregavam os barcos. É incrível como ainda permanecem de pé, após tantos anos sofrendo com o vento e a água salgada. Hoje, a “Pequena Veneza” é um dos lugares mais procurados de Mykonos, com uma paisagem fabulosa, sobretudo durante o pôr-do-sol, com o mar à frente e os moinhos ao lado.

Edifício Town Hall

É um edifício construído em 1785 pela delegação russa e merece ser visitado. Foram anos de construção, mantendo ainda o seu design original.

Regiões a visitar

Chora


É a capital da ilha. Aqui encontra-se uma grande oferta de restaurantes, bares, mercados, lojas, escritórios para alugar carros (perto do terminal de autocarros), uma casa de câmbio e algumas agências de viagens.

Ano Mera

Paradise-Ano-Mera-dicas-de-viagens-Mykonos-grecia-rodrigo-gurgel-agente-de-viagens-personalizadas
Um vilarejo localizado a oito quilômetros do centro de Mykonos. Depois da capital, é o povoado mais antigo e mais importante da ilha. Um lugar tranquilo, menos agitado do que Chora e onde poderá apreciar um bom jantar num dos restaurantes da praça central. Aqui encontrará alguns mosteiros e igrejas e poderá usufruir das melhores praias da ilha, como Paradise, Super Paradaise, Elia, Platys Giales e Paranga (ou Paraga). Poderá, também, encontrar outras praias na parte de cima da ilha, como Kalafati, Ftelias, Panormos e Faros Armenistis.

Ilha de Delos

Ilha-de-Delos-dicas-de-viagens-Mykonos-grecia-rodrigo-gurgel-agente-de-viagens-personalizadas
Pode fazer um passeio de barco até a histórica ilha de Delos, o coração das ilhas Cíclades. Foi santuário dedicado aos deuses gêmeos Apolo e Artemis, tendo sido um dos três mais importantes centros religiosos da Grécia. Guarda remanescentes do século VIII a.C., como o grande anfiteatro. Há, também, um museu no local, construído em 1904, com estátuas e relíquias de Delos.

Praias

 

Para todos os gostos: gays, nudismo, baladas ou simplesmente para relaxar. A areia é mais clara e mais agradável de caminhar e o mar tem uma cor maravilhosa.

As praias mais visitadas são: Elia, Paradise, Super Paradise, Paranga (ou Paraga), Psarou e Platis Yalos (ou Platis Gialos).

Mergulho

mergulho-dicas-de-viagens-Mykonos-grecia-rodrigo-gurgel-agente-de-viagens-personalizadas
Algumas praias como a de Kalafatis alugam equipamentos para mergulho e oferecem cursos com guias especializados.

Baladas

baladas-dicas-de-viagens-Mykonos-grecia-rodrigo-gurgel-agente-de-viagens-personalizadas
As praias de Paradise e Super Paradise, durante a alta temporada, possuem uma programação bem cheia para os baladeiros de plantão. Apesar dos bares dessas praias funcionarem quase ininterruptamente, a agitação começa a partir das 15h.

Em Paradise, por exemplo, além do bar da praia, existe uma balada (Cavo Paradiso) que acolhe e apresenta os mais famosos DJ’s do mundo durante o verão.

Interessante


A ilha de Mykonos é repleta de gatos. Repleta mesmo… não se assuste com a quantidade que encontrar nas ruas.

Também não se assuste se, ao andar pelas ruas de Chora, se deparar com um Pelicano enorme… É o Petros, mascote da ilha… Na verdade o Petros original já faleceu e se encontra empalhado no museu folclórico, porém logo a população da ilha tratou de substituir por outro.

Gastronomia

As especialidades gregas mais saborosas e conhecidas são a moussaka (beringelas acompanhadas de carne de cordeiro e condimentadas com canela e vinho tinto) e avgolemono (arroz com frango e ovos com sumo de limão). Destacam-se também as carnes assadas e os pratos feitos com peixe ou marisco. As refeições incluem, normalmente, entradas como keftedes (bolinhas de carne picante) ou tzatziki, um molho à base de iogurte, pepino e endro. Como sobremesa estão, entre outros, as baklavas, uma massa folhada com mel, baunilha e amêndoas.

As saladas gregas – frescas e de fácil feitura – são famosas internacionalmente. Nelas não faltam o azeite, o tomate, o pepino e o queijo feta, que é, possivelmente, o produto mais conhecido do país. Também é muito comum adicionar a estas saladas as famosas azeitonas gregas.
Dentro da tradição gastronômica grega encontramos também duas bebidas típicas do país: a retsina, elaborada com pinhões, e ouzo, de anis, que se torna escura ao adicionar água.

Onde comer

Spilia Restaurant

Avli Tou Thodori
Platys Gialos
M-eating
Mykonos Town
Gelarte Ice Cream
Mykonos Town
Kikis Tavern
Mykonos Town
Nautilus
Mykonos Town
Katerina’s Bar & Restaurant
Mykonos Town
Nostimon
Ornos
Fokos Taverna
Praia de Fokos
To Maereio
Mykonos Town
Karavaki Restaurant
Mykonos Town
Bonatsa
Platys Gialos
Avra Restaurant – Garden
Mykonos Town
Bakalo
Mykonos Town